Conceitos e princípios gerais da Homeopatia

A Homeopatia se propõe a estimular o organismo a combater sua doença. Ela não usa paliativos ou encobre os sintomas, age na solução da doença.

Foi observado por Hipócrates (460-370 a.C.) que substâncias que provocavam certas reações curavam pessoas nas quais a doença provocava sintomas semelhantes à essas reações. Mais tarde Hahnemann (1755-1843) traduzindo trabalhos sobre certas substâncias pode observar o mesmo (Lei da Semelhança). Passou então a experimentar em si mesmo várias substâncias e observar as reações, toda substância estudada foi experimentada em pessoas saudáveis e só então utilizadas como medicamento (Experimentação no Homem São).

Muitos perguntam qual remédio homeopático indicado para gripe ou outra doença qualquer. A Homeopatia trata o enfermo e não a enfermidade. Assim em 10 pessoas com gripe pode acontecer que cada uma receba uma medicação diferente, tudo vai depender do indivíduo como um todo, todos os sintoma contam na avaliação (Individualização).

Deve ser escolhido apenas um medicamento, pois considerando todos os sintomas que o organismo apresenta no momento, devemos escolher o mais similar (Medicamento único).

Levamos em conta o Vitalismo, condição que rege e harmoniza o ser vivo, que mantém e harmoniza os fenômenos da vida e é de fácil observação, pois diferencia as coisas vivas das não vivas. O ser vivo não pode ser resumido às suas funções físico-químicas, deve ser visto como um todo.

Hahnemann em suas experimentações observou que quanto maior a dose de um medicamento, maior era a piora inicial dos sintomas. Para contornar esses efeitos e obter uma dose idealmente adequada, diluiu sucessivamente as preparações. Verificou, porém, que ao fim de certo número de diluições, simplesmente havia uma perda do poder medicamentoso. Magistralmente, passou a intercalar a cada diluição um procedimento de agitação do conteúdo, a esse processo chamou de Dinamização, e a partir desse método obteve uma melhor resposta do organismo.

A verdadeira homeopatia baseia-se nesses conceitos, e através dela alcançamos os melhores resultados.

Resumindo, analisando cuidadosamente o caso e administrando-se o remédio semelhante à doença que o animal apresenta, estimulamos o organismo à combatê-la e chegamos à cura. O tempo e o modo de reação varia de organismo para organismo.